51 3713 8100

Bem-vindos ao Café Vang Gogh! Última atualização em, 24 de julho de 2018

Uma escola inteirinha motivada em torno do mesmo assunto. O que prendeu a atenção das crianças do pré ao 9º ano do ensino fundamental, na Emef Duque de Caxias, desde o primeiro dia de aula deste ano letivo, foi  a vida e a obra de um dos maiores representantes da pintura pós-impressionistas: Vincent Van Gogh. 

 

O projeto, intitulado Somos todos girassóis, envolveu atividades que permearam todas as disciplinas, desde língua portuguesa, passando por história e geografia, artes e até a matemática. Como explicou a vice-diretora da escola, Márcia Simon, tudo começou com o plantio de girassóis no pátio, em alusão a um dos mais conhecidos quadros do pintor e, a partir de então, todos os professores começaram a trabalhar o tema em sala de aula.

 

Na última semana, o Café Vang Gogh foi a culminância das atividades. A montagem, protagonizada por alunos das turmas do 7º ano, marcou o encerramento do projeto para todo o educandário. A cada meia hora, um novo público acompanhou a performance e assim todas as turmas assistiram à encenação. No palco improvisado, objetos tirados do fundo do baú tornaram-se fonte inesgotável de inspiração. 

 

Ao longo do semestre, cada turma trabalhou o artista de um jeito diferente, mas com muita criatividade. Teve de tudo. Alguns escreveram cartas para o próprio Van Gogh, como se ele ainda estivesse vivo, contando o que fariam se tivessem recebido a orelha que ele decepou. Alunos da manhã construíram uma réplica do pintor em papel machê, que agora vai morar na biblioteca da escola, junto com Mário Quintana que há algum tempo já vive por lá. Dentro de caixas de sapato, outra turma confeccionou réplicas do modesto quarto do pintor. Outras fizeram releituras de sua obra, que estão espalhadas pelos corredores da escola, transformada em um grande atelier. 

 

E assim, o aprendizado tornou-se prazeroso, com toda a escola falando a mesma linguagem, como destacou a diretora Márcia. “Esse trabalho é resultado de muitas mãos e de muitas mentes, envolvendo alunos e professores. É muito interessante, desde o menorzinho do pré até o aluno do 9º ano, todos agora sabem quem foi Van Gogh”, observou. Para ela, a escola deve instigar os alunos a interpretar o mundo ao redor. “É isso que a escola tem que fazer, ensinar a olhar”.

 

Stefani Ferreira, 16, Antony Severo, 13, José Guilherme Peixoto, 12, Évelyn Terra, 12, Ana Karolina Santos, 12, e Ana Luiza Nicaretta, 13, eram só contentamento ao final do projeto. Encarregados da atividade final de encerramento – o Café Van Gogh -, os jovens atores sentiram o peso da responsabilidade e corresponderam à altura. “O mais difícil não é decorar o texto, mas colocar a emoção”, disse Antony.

 

No mesmo dia encenaram dez vezes o mesmo esquete e a cada performance arrancaram aplausos da plateia. Convidada para o evento, a secretária municipal de Educação, Jaqueline Marques, compareceu e se encantou com o que viu. “É motivador uma escola toda envolvida em arte, desenvolvendo a sensibilidade e criatividade de nossos alunos. Impossível não se encantar ao ver uma criança da pré-escola listando as obras que mais gosta de Vang Gogh!”, exclamou.

 

Para os alunos, a lição que fica é para toda a vida. “É bom ter o conhecimento, agora a gente sabe conversar sobre Vang Gogh, é muito legal”, comemorou Ana Karolina. “Agora a gente sempre quer aprender mais, quando vê um livro do pintor já quer pegar para ler”, contou Ana Luiza. Entusiasmados com o projeto, os alunos já estão ansiosos pelo ano que vem. É que eles vão conhecer o grande Leonardo da Vinci. Que venha 2019!

Compartilhe:
Prefeitura de Santa Cruz Suporte Técnico:
suporte@santacruz.rs.gov.br
Desenvolvido por DROP