51 3713 8100

Secretaria Municipal de Saúde oferece Programa de Planejamento Familiar ├Ültima atualiza├ž├úo em, 09 de abril de 2018

Planejar o nascimento dos filhos, tanto em relação ao número desejado, quanto ao momento ideal para tê-los. A fim de auxiliar casais, homens e mulheres a tomar a melhor decisão sobre uma possível gravidez, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesa), de Santa Cruz do Sul, mantém o Programa de Planejamento Familiar. Além do amplo acesso a informações, também estão disponíveis técnicas para regulação da fecundidade.

 

De acordo com a enfermeira responsável pelo programa, Thaís Weis, a decisão de ter um filho precisa ser consciente. “Filho é para toda a vida, os pais são responsáveis pelo ser gerado, bem como por suprir todas as necessidades da criança, como alimentação, vestuário, educação e afeto”, disse. Ela acrescenta, no entanto, que para tomar a melhor decisão é preciso estar muito bem informado sobre o assunto.

 

Todo o aconselhamento e também o acesso aos métodos contraceptivos podem ser obtidos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), nas Estratégias de Saúde da Família (ESF) e na própria Sesa, à Rua Ernesto Alves, 858 – 2º piso – Centro). Através do SUS são disponibilizados gratuitamente diferentes métodos contraceptivos temporários e definitivos. 

 

Segundo Thaís, a maior procura ainda é pelos métodos temporários, mais tradicionais, principalmente anticoncepcionais orais e os injetáveis trimestrais. Mas também são oferecidos anticoncepcionais injetáveis mensais, dispositivo intrauterino (DIU), implante hormonal subcutâneo e preservativos masculino e feminino. Já entre os métodos definitivos estão a vasectomia e a laqueadura tubária, também conhecida como ligadura de trompas. 

 

Diferentemente do que se via até pouco tempo, quando a responsabilidade por evitar uma gravidez era cem por cento da mulher, essa situação hoje vem se modificando. No que diz respeito aos métodos definitivos, a procura é igual entre os sexos. Muitos homens estão buscando a vasectomia, até mesmo por ser uma cirurgia bem mais simples que a laqueadura para as mulheres. “É simples, rápido e seguro e que não afeta em nada o desempenho sexual do homem”, explicou Thaís. 

 

A vasectomia é realizada tanto no Posto Central como no Hospital Monte Alverne e não requer internação. Os canais deferentes são cortados, amarrados e cauterizados, em um procedimento considerado pouco invasivo, com anestesia local e imediata recuperação. Já a laqueadura é realizada por meio de uma pequena incisão cirúrgica abdominal. As tubas uterinas são interrompidas, impedindo que o óvulo se una ao espermatozoide. Em virtude da anestesia, a paciente necessita ficar 24 horas em observação após a cirurgia. 

 

Dentre os métodos contraceptivos, a laqueadura é a que oferece o menor risco de gravidez e tem também muitas outras vantagens, conforme explica a enfermeira. “Dispensa o uso de anticoncepcionais, não interfere na libido da mulher, reduz o risco de câncer de ovário, protege contra infecções pélvicas e é o procedimento ideal para mulheres que estão sujeitas a riscos no caso de uma possível gravidez”, observou. 

 

Cirurgia definitiva pode ser realizada 60 dias após a tomada de decisão 

 

A laqueadura e a vasectomia são permitidas por lei somente para pessoas acima de 25 anos de idade ou, pelo menos, com dois filhos vivos. É necessário que se cumpra o prazo mínimo de 60 dias entre a manifestação da vontade de realizar os procedimentos e a efetivação do processo cirúrgico, período em que deve ser oferecido ao homem e a mulher aconselhamento por equipe multidisciplinar.

 

Para encaminhar os procedimentos, o paciente deve procurar a unidade de saúde mais próxima de sua residência ou o Setor de Planejamento Familiar e solicitar informações sobre os métodos e cuidados no pré e no pós-operatório. Também deverá preencher o termo de consentimento e a autorização do cônjuge, além de efetuar agendamento com um psicólogo para avaliar sua aptidão para o procedimento.

 

No caso das mulheres também faz-se necessária a realização de exames pré-operatórios, disponibilizados pela unidade de saúde, e consulta médica pré-operatória no Hospital Monte Alverne (HMA). O transporte das pacientes para Monte Alverne é feito pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesa) e no momento não há lista de espera. 

 

De agosto a dezembro de 2017, após a reforma do bloco cirúrgico do HMA, foram realizadas 33 laqueaduras e 76 vasectomias. Este ano já foram contabilizadas 15 laqueaduras e 18 vasectomias.

 

Compartilhe:
Prefeitura de Santa Cruz Suporte Técnico:
suporte@santacruz.rs.gov.br
Desenvolvido por DROP