51 3713 8100

Brigada Militar apresenta projeto das futuras instalações em reunião do GGIM Última atualização em, 07 de março de 2018

Dentro de três a quatro meses, a 1 ª Companhia, hoje sediada na Rua Marchal Deodoro, e o 23º Batalhão de Polícia Militar, com sede na Rua 28 de Outubro, passarão a funcionar em uma nova estrutura. Está em reforma para abrigar os serviços, o prédio do antigo Expresso Gaúcho, na Rua Galvão Costa, número 40, nas imediações da Avenida do Imigrante. O custeio da locação ficará a cargo da Prefeitura, por meio de termo de cooperação firmado com o Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (Consepro).

 

A apresentação do projeto, com a planta baixa das futuras instalações, foi apresentado na manhã desta terça-feira, dia 6, pelo comandante do 23º BPM, major Nascimento, em reunião mensal do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM), que reúne representantes de órgãos de segurança, MP e Prefeitura. Com a transferência do 23º BPM, o prédio da Rua 28 de Outubro será ocupado exclusivamente pelo Comando Regional da BM, com espaço para futura ampliação do sistema de videomonitoramento. 

 

Segundo Nascimento, a mudança de endereço será decisiva para racionalizar os custos e garantir maior efetividade no serviço. Ainda segundo ele, a escolha do local é estratégica, considerando que é um pedido do Ministério Público, em função das frequentes perturbações naquela região da cidade. “Com a nova sede, o município ganha no que se refere à segurança e a comunidade sai favorecida no sentido de inibir possíveis precipitações públicas”, observou.

 

Após a apresentação o Município firmou dois termos de cooperação com o Consepro. Um, no valor de R$ 11 mil mensais, para colaboração no pagamento da bolsa auxílio de policiais que residem nos núcleos comunitários de policiamento e para manutenção de viaturas dos núcleos. Já o segundo, no valor de R$ 14 mil, para o pagamento do aluguel da futura sede da 1ª Cia e do 23º BPM, manutenção de viaturas e outros investimentos. “O Município prioriza a área da segurança pública, entendendo que esta colaboração, mesmo não sendo um dever constitucional, é muito importante para garantir a segurança dos cidadãos”, afirmou o secretário municipal de Segurança, Henrique Hermany.

 

Módulo compartilhado – A reunião do GGIM contou também com a participação da diretoria da Associação dos Moradores de Linha Santa Cruz (Amorlisc). Está em fase de construção, por iniciativa da comunidade, capitaneada pela  associação e  Rotary Cidade Alta, ao lado da subprefeitura, uma estrutura para abrigar serviços de segurança. No bairro, segundo o presidente da entidade, Claudiomiro Flores, residem hoje cerca de cinco mil habitantes, e dado o crescimento da região, aumentam também as ocorrências relacionadas à segurança pública. 

 

Nos mesmos moldes da que já funciona atualmente na Praça Getúlio Vargas, na esquina das ruas Marechal Floriano e Ramiro Barcelos, o prédio, com 58 metros quadrados, será guarnecido por membros da BM e da Guarda Municipal. O módulo está sendo erguido com recursos da própria comunidade e deverá entrar em funcionamento até o mês de junho. A Secretaria Municipal de Segurança, Defesa Civil e Esporte (Sesde) comprometeu-se a providenciar o mobiliário. 

 

Também na pauta do encontro a instalação de câmeras de videomonitoramento na área externa do Presídio Regional. A Sesde ficou de fazer um levantamento dos custos para compra, instalação e manutenção dos equipamentos. O objetivo é coibir a ação de meliantes que de forma contumaz arremessam objetos para dentro da unidade prisional. 

Compartilhe:
Prefeitura de Santa Cruz Suporte Técnico:
suporte@santacruz.rs.gov.br
Desenvolvido por DROP