51 3713 8100

O Futuro da Minha Cidade faz pensar Santa Cruz daqui a 20 anos Última atualização em, 30 de novembro de 2017

Discutir ações criativas e sustentáveis com base nas parcerias entre os diversos setores organizados da sociedade e Poder Público para o desenvolvimento da cidade que queremos daqui a 20 anos. Esse foi o desafio lançado para os participantes do projeto nacional O Futuro da Minha Cidade, que pela terceira vez veio ao Estado e trouxe para palestrar, na manhã desta quinta-feira, 30, no Aquarius Hotel, a arquiteta e urbanista Marcela Arruda e o engenheiro civil Silvio Barros, ex-prefeito de Maringá (PR). O evento foi promovido pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Serviço Social da Indústria (Sesi) e Sinduscon, com o apoio do Município de Santa Cruz do Sul. 

 

Logo na abertura, o vice-presidente da Fiergs e presidente da Associação Santa Cruz Novos Rumos (Ascnor), Flávio Haas, disse que o momento lhe remetia a nove anos atrás, quando em 2008 mais de 400 santa-cruzenses foram mobilizados para discutir os rumos do município e assim surgiu a Associação Santa Cruz Novos Rumos. Ele enfatizou a construção de uma cidade melhor pelo associativismo e pela colaboração e ressaltou que os gestores devem escutar e permitir a contribuição da sociedade. “A pujança tão decantada de Santa Cruz do Sul é fruto de gestões públicas e atividade empresarial competentes”, disse.

 

Com uma plateia formada por lideranças dos diversos segmentos da sociedade santa-cruzense, os palestrantes abordaram experiências bem sucedidas de algumas cidades do Brasil e do mundo que se tornaram referências em práticas de gestão urbana. Um desses cases foi trazido pelo ex-prefeito de Maringá (PR), Silvio Barros.

 

Maringá entrou na lista das melhores cidades do Brasil para se viver, com ótimos indicadores de qualidade de vida, conforme pesquisa feita pela Delta Economics & Finance e divulgada pela Revista Exame. Segundo Silvio, o município colhe os frutos de pensar a longo prazo e o seu deferencial está justamente na organização social. Como exemplo dessa sinergia, ele fez menção ao plano estratégico, socioeconômico e urbanístico, bancado pelos próprios empresários locais e pela sociedade civil para nortear as ações de desenvolvimento nas próximas décadas. 

 

Logo ao abrir a palestra ele lançou um questionamento: “Seremos reféns ou protagonistas do futuro?” Ele disse que é preciso mobilizar a sociedade local para uma participação mais ativa no futuro da cidade, criando soluções para a sustentabilidade urbana, mas de modo a atender as especificidades locais. “Cidades são como pessoas, tem impressão digital, cada uma é de um jeito. Não necessariamente o que dá certo em uma vai dar na outra”.

 

Ao narrar sua experiência à frente da prefeitura de Maringá (PR) por duas gestões, Barros disse que a única forma de proteger um projeto de longo prazo e impedir sua descontinuidade a cada troca de gestor é se o projeto for não deste ou daquele grupo político no poder, mas do conjunto da sociedade. Segundo ele, existe mágica quando a sociedade se junta com a prefeitura e sai de sua zona de conforto, tornando-se agente ativo no processo de desenvolvimento da cidade. “Vivemos um modelo de mais direitos do que deveres e o poder público tem que fazer tudo o que a gente precisa. Nenhum sistema aguenta isso, esse modelo de estado é insustentável”, observou.

 

Também palestrante do evento, a arquiteta e urbanista Marcela Arruda falou sobre o tema Espaços Públicos, bem comum e cidades participativas. Ela destacou a importância da ocupação dos espaços públicos e do pensamento coletivo, uma tendência encontrada especialmente em cidades europeias, em práticas como casas compartilhadas, coworking, laboratório maker, troca entre vizinhos, modais e financiamento coletivo. 

 

A mesa de abertura do evento O Futuro da Minha Cidade contou com a participação do vice-presidente do Sinduscon-RS, Auro Schilling, do presidente da Associação de Entidades Empresariais de Santa Cruz do Sul (Assemp), Léo Scwingel, do vice-presidente da Fiergs e presidente da Associação Santa Cruz Novos Rumos (Ascnor), Flávio Haas, do secretário municipal de Obras e Infraestrutura, Leandro Kroth, e do pró-reitor de Extensão e Relações Comunitárias da Unisc, Angelo Hoff. Também presentes os secretários municipais de Comunicação, Régis de Oliveira Júnior, e de Desenvolvimento Econômico, Cultura e Turismo, Flávio Bender.

Compartilhe:
Prefeitura de Santa Cruz Suporte Técnico:
suporte@santacruz.rs.gov.br
Desenvolvido por DROP